abril 04, 2016

[Resenha] A Indomável Sofia – Georgette Heyer

Sofia Stanton-Lacy é alegre, impulsiva e de uma franqueza desconcertante, características que não combinam com o que se espera de uma mulher em sua posição na sociedade londrina do início do século XIX. Educada durante as viagens de seu pai, órfã de mãe, ela chega à casa de sua tia em Berkeley Square para derrubar as convenções e surpreender a todos com seus modos independentes e sua língua afiada. E Sophy parece ter chegado no momento certo: seus primos estão com muitos problemas. O tirânico Charles está noivo de uma jovem tão maçante quanto ele, já Cecilia está apaixonada por um poeta, e Hubert tem sérios problemas financeiros. A prima recém-chegada decide então ajudar a todos com sua determinação e impetuosidade, e acaba enfrentando agiotas, roubando os cavalos de seu primo e atirando de raspão em um honrado cavalheiro. Embora sejam sempre mirabolantes e arriscados, seus planos sempre dão certo e tudo parece estar sob seu controle. O que ela não espera, porém, é que seu primo Charles, que aparentemente não vê a hora de arrumar um marido para ela, de repente passa a enxergá-la com outros olhos...

Romance
Histórico
| 406
Páginas
|
Cortesia Editora
Record |
Skoob | Compare & Compre: SaraivaSubmarinoAmazon | Classificação: 5/5
Tudo que um romance histórico precisa para me envolver é uma protagonista
irreverente e à frente do seu tempo. Sendo assim, meu amor por A Indomável Sofia foi praticamente instantâneo.
Com um cenário típico do século XIX – ou seja, cheio de convenções aristocráticas
e preconceitos sociais – Georgette Heyer dá vida a uma personagem divertida,
cativante, irreverente, manipuladora (da melhore forma possível), e completamente
alheia à opinião pública sobre o que é respeitável ou não no comportamento de
uma mulher. O que mais surpreende nessa leitura é que, por mais que o romance
seja leve e previsível, é perceptível a ironia com a qual a autora repudia o
papel feminino imposto pela sociedade inglesa. Sendo assim, amei o teor crítico
da história ao mesmo tempo em que me apaixonei por sua narrativa simples e
bem-humorada. Fazia tempo que não encontrava uma personagem tão cômica como essa
indomável Sofia.

A obra gira em torno de Sofia e do período que ela fica hospedada na casa
da tia. A jovem, que foi criada de maneira nada tradicional ao viajar com o pai
pelo mundo em suas missões como agente da Coroa, vai passar um período em
Londres enquanto o pai embarca em uma perigosa missão no Brasil. A ideia é que
ela fique em segurança na casa da tia e, quem sabe, consiga encontrar um bom pretendente
para se casar. Segundo seu pai, Sofia é uma jovem tranquila que não afetará em
nada as tarefas da tia – porém, talvez
essa não seja a melhor descrição. Quando Sofia chega em Berkeley Square ela
coloca a casa, a tia e todos os seus primos, de pernas para o ar. Com uma
personalidade divertida, com pouquíssima intenção de se preocupar com a opinião
alheia, com um time importante e irreverente de amigos, e com língua e mente
muito bem afiados, a jovem vai mudar o clima da casa. Antes envoltos em uma nuvem
de decoro e falta de alegria, os moradores de Berkeley Square serão acometidos pelo
bom-humor de Sofia e embarcarão em muitas aventuras. Sofia está disposta a
melhorar a vida da tia e dos primos, por isso ela vai desempenhar de forma
incrível seu papel e ajudar a prima a contrair um bom casamento, o primo mais
novo a fugir de possíveis agiotas, e o primo mais velho a tirar a carranca e
encontrar uma noiva melhor do que a enfadonha songa-monga com quem ele se
comprometeu. Se ela vai aprontar? Mais isso não tenham dúvidas!

(…) Prima, meu tio Horace nos informou que você era
boazinha, que não nos causaria problemas. Está conosco menos da metade de um
dia. Estremeço ao pensar na devastação que terá provocado no final de uma
semana!

Uma coisa importante sobre a história é que ela foi escrita em 1950. A
autora nasceu em 1902 então, por mais que gozasse da recém-liberdade
conquistada pelas mulheres, conhecia indiretamente as regras sociais que
dominavam o século XIX. Isso significa que Georgette Heyer escreve de uma
maneira mais formal e típica do período em que viveu. De início achei que isso
seria um problema, que a leitura avançaria em um ritmo lento, porém logo fui
conquistada por seus jargões e por suas frases irônicas e críticas. Depois de
embarcar na leitura compreendi porque comumente comparam os livros da autora
com os da Jane Austen: as duas possuem uma capacidade peculiar de escrever
sobre o século XIX com um olhar crítico e aguçado, trazendo mais que histórias
de romance ao descreverem os detalhes sociais típicos desse período. Adorei
completamente essa característica da narrativa da autora!
Outra coisa que amei, como já citei anteriormente, foi a personalidade da
Sofia. A jovem, como um todo, é uma crítica ambulante ao papel feminino no
século XIX. Ela é tudo o que as mulheres não podiam ser: divertida,
galanteadora, inteligente, manipuladora, dona do seu próprio destino. Em muitos
momentos senti uma idealização em sua figura – é difícil imaginar que ela
sairia impune de todas suas artimanhas e trapalhadas – entretanto, o fato é que
ela não só representa a força da mulher como cativa o leitor no início ao fim.
É impossível não se divertir com a forma com a qual Sofia
manipula as pessoas ao seu redor para mostrar o quanto elas estão erradas. Sem
impor suas vontades e opiniões, ela cria situações para provar seus argumentos,
ou seja, a jovem não perde uma oportunidade sequer de mostrar para as pessoas
que ama que o que realmente importa na vida não são as convenções sociais ou as
regras impostas pela aristocracia, mas sim a felicidade, o acolhimento e o companheirismo.
Diverti-me demais com as trapalhadas da personagem, amei a forma como ela se
envolve e se doa por seus primos e por sua tia, e amei ainda mais o desabrochar
do romance entre ela e um pretendente rabugento e mandão. Pensa em um romance
fofo e divertido? Pois bem, é exatamente isso que temos aqui.
Em resumo o livro é bem escrito, fluído (apesar na narrativa mais formal), e
extremamente bem-humorado. Gostei tanto da Sofia e de seus familiares que
queria mais livros sobre ela e suas artimanhas. Como não existe essa
possibilidade, vou me contentar com mais livros da Georgette Heyer – realmente fiquei
encantada com sua deliciosa escrita.


Escolhi esse livro para o terceiro tópico do desafio Históricos & Eu: Ler um livro ambientado no século XIX. 

Beijos,


Participe Aqui

confira também

Posts relacionados

Comente via Facebook


Deixe seu comentário

22 Comentários

  • Rhoana Lersch
    30 abril, 2016

    Oi Pah!!! Amo romances históricos (resultado da tua influência nas minhas leituras) e já tinha lido algumas resenhas desse livro e me interessei muito pela personagem principal, mocinhas fortes são as melhores personagens <3, o livro já está na minha lista e espero ler logo!! Bjss

  • Ana Paula Lelis
    28 abril, 2016

    Concordo com você sobre a protagonista ser forte e irreverente. Não gosto de ler livros sobre ''mosca-morta'' não hahaha Nao costumo ler romances de epoca, mas esse atraiu minha atenção! beijoo

  • emilya costa
    23 abril, 2016

    Estou amando essa onda de romences de epoca principalmente com uma heroina que vai alem dos seus principios, nunca li os livros da georgette hayder mas so pela resenha parece ser supreendente…

  • suzana cariri
    18 abril, 2016

    Oi!
    Ainda não conhecia essa historia, mas ela me conquistou, gosto muito dos romances de época e achei bem interessante termos um autora que viveu nesse tempo nos trazendo essa historia de uma realidade, a sofia foi uma personagens que gosto muito, com certeza irei ler esse livro !

  • Rayane Colombo Gomes
    14 abril, 2016

    pah realmente vc tem feito eu gostarmais ainda de romances historicos! hahah vou ficar louca menina kk adorei a resenha. ja tinha visto este livro no skoob mas nao tinha ido atras de ler a historia.. quero super ler

  • Maria Fernanda Medeiros
    14 abril, 2016

    Amei, amei, amei, amei, amei!!! Sou completamente apaixonada pela escrita da Jane Austen, e a muito tempo venho procurando algo que realmente se assemelhe com o estilo dela. Gostei de tudo na descrição desse livro.
    Achava que a publicação original era mais recente. Muito interessante saber que foi escrito em 1950, acredito sim que isso deve ter contribuído para a forma como ela lidou na trama sobre o papel feminino!
    Quero demais!! Beijos, Pah!

  • Larissa Alves
    13 abril, 2016

    Oi Pah!
    Não conhecia nem o livro, nem a autora e muito menos a história. Assim como você, personagens femininas como essa me conquistam facilmente, porém não sou tão fã de romances históricos rs.

    Beijos.

  • Leticia Golz
    08 abril, 2016

    Oi, Pah
    Pelo jeito o título faz jus a obra. Também adoro essas mocinhas ousadas e a Sofia parece que é ainda mais. Fiquei encantada com a resenha e com mais vontade ainda de ler esse romance. Ainda vendo todos esses elogios quanto a escrita e ao desenvolvimento que a autora construiu. Linda resenha!

  • Cailes Sales
    08 abril, 2016

    Oii Pah!!
    Queria ler sua resenha desse livro há muito tempo! Por ser um romance de época, A indomável Sofia já me aguçou a curiosidade e pela sinopse já achei o livro interessante e divertido e agora com a sua opinião positiva, ele entrou, com certeza, para a lista dos meus históricos desejados ♥
    Abraço!

  • Cassiana Ollmann
    07 abril, 2016

    Geeente, eu estou louca pra ler esse livro!
    Depois da resenha então.. mais ainda!!!
    Já esta na minha listinha de aquisição desde a pre-venda… só falta comprar hehehehe
    bj bj

  • Vinicius Magalhães
    06 abril, 2016

    Oi Paola! Tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro. O mais interessante de conhecer ele foi saber que ele foi escrito por volta de 1950.
    Amei a personalidade da personagem, acho que quando o livro é bom, ele te conquista, mas para te conquistar mesmo ele tem que ter uma personagem que vai te fazer dizer: EU GOSTO DELA!. Adoro quando essa sensação acontece (haha).
    A capa do livro é bem simples, no meu ponto de vista, mas é bem linda e faz com que o leitor queira descobrir um pouco mais sobre o livro.
    Beijos, adorei a sua resenha!

    Vinicius
    Omeninoeolivro.blogspot.com

  • RUDYNALVA
    06 abril, 2016

    Pah!
    Fico completamente arrebatada por um romance histórico, principalmente os do século XIX.
    E ver que Sofia é uma protagonista forte, bem a frente de seu tempo, me conquistou ainda mais e quero ler.
    “A simplicidade é o último degrau da sabedoria.” (Khalil Gibran)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista especial de aniversário em abril: com 6 livros 5 ganhadores, participem!

  • Beatriz
    05 abril, 2016

    Só Deus sabe o quanto amo e admiro livros de romance histórico desde que li A promessa da rosa. SEMPRE tive vontade de ler a indomável Sofia e como sempre depois que li sua resenha minha curiosidade está mais forte do que nunca! Assim como você amo esse tipo de protagonista, divertida e que nos surpreende a cada página lida. Super ansiosa para ler!
    Beijos

  • Thais Lima Reis
    05 abril, 2016

    Oi Pah!
    Engraçado porque eu acabei de lê esse livro e concordo com quase tudo que você comentou. Pra deixar claro eu amei o livro, historico é o meu genêro favorito igual a você, e Sofia é deliciosamente divertida, a historia é envolvente, você nunca sabe o que ela vai fazer em seguida. O jeito que a escritora escreve é muito parecida com Jane Austen e Orgulho e Preconceito é um dos meus livros preferidos por isso é mais um ponto a favor do livro. Mas ao contrario de você Pah eu acho que o livro podia ter dito um pouco mais de romance.
    Beijos,
    P.S. Adoro seus videos.

  • Dan Igor
    05 abril, 2016

    Nossa, adorei a Sofia! Uma mulher decidida, bem humorada e cheia de truques realmente não devia ser comum naquele tempo. A escrita da autora parece super fluída, não sabia que era se tratava de um livro escrito na década de 50, achei bem curioso! Amei a resenha, estou louco para ler esse livro.

  • Talita Oliveira
    05 abril, 2016

    A capa já me conquistou! Acredite se quiser,nunca li um Romance de época, mas tenho mt curiosidade, esse livro seria um bom começo! Me identifiquei com a Sofia, hehe
    Ainda bem q é do tipo mais fluido, leituras assim me encantam!
    Bj!

  • Crika Regina
    05 abril, 2016

    Oi Pah!
    Ontem mesmo coloquei esse livro na minha lista de desejados. Parece ótimo e sua resenha só me incentivou ainda mais a querer ler, adorei! Doida pra conhecer essa mocinha pra frentex naquela época e o que ela vai fazer pra deixar tudo de pernas pro ar hahaha. Não sabia que a comparavam com a Jane Austen, então é mais um motivo pra ler 😉

  • Elivelton Lopes
    05 abril, 2016

    Gostei da resenha, parabéns.

    Da uma passada no meu blog. Segue lá, sigo de volta.

    http://www.vestigiodelivros.com.br/

  • Micheli Pegoraro
    05 abril, 2016

    Olá Pah,
    Como sou uma grande fã de romance de época esse livro está no topo na minha modéstia lista de desejados. Assim, como você, adoro protagonistas que não estão a mercê da opinião dos outros, e essa Sofia representa muito bem uma mulher determinada, ousada e divertida, não sendo submissa aos costumes da época como deveria de se esperar de uma moça da sociedade do século XIX. Outro ponto que me chamou muito a atenção foi saber que esse livro difere dos escritos atualmente por trazer um romance sutil, mais estilo Jane Austen. Estou muito ansiosa e animada para ler esse livro, e espero que seja logo! Ahn, e essa capa é linda!
    Beijos

  • Theresa Cavalcanti
    04 abril, 2016

    Fiquei com muita vontade de ler esse livro! Já tinha visto quando foi lançado, mas não sabia muita coisa dele.

  • Vania Correa
    04 abril, 2016

    A Sofia é uma mulher bem interessante e bem avançada para a sua época, fiquei curiosa sobre um romance dela com o primo, e também quanto as suas aventuras, gosto de personagens femininas que sejam fortes e decididas, a capa está linda, beijos…

  • Bruna Lago
    04 abril, 2016

    Ai gente, não preciso nem dizer que esse livro já ganhou meu coração, não é? Romances de época são os meus livros prediletos e esse é característico do meu favoritismo.. Uma mulher incrível que sabe o que quer e faz. Com certeza já sera minha nova leitura.
    Bom dia !