Anúncios
novembro 08, 2021

ENTREVISTA COM BINHA CIBELLE

Hoje temos mais uma autora incrível e super talentosa aqui no site! Binha Cibelle é nasceu em Minas Gerais, é professora de inglês, casada, ama doramas e tem 26 aninhos. Na sua própria descrição, ela diz que “descobriu, depois de uma crise de identidade, que poderia colocar em palavras as loucuras vividas em sua cabeça, transformando-as em histórias que achou que ninguém leria.” Que bom, né? Porque só ganhou com isso hahaha

Dia 18 de novembro, ela lançou mais um livro da sua carreira chamado “Não me solte jamais”, primeira história individual da série Irmãos Chae. A obra ficou por dia no topo dos rankings da Amazon (e ainda está), além de trazer uma história maravilhosa. Sendo assim, convidamos a Binha para falar um pouco mais sobre sua carreira como autora e nos contar tudo do processo deste livro.

Estão preparados? Então, vamos lá!

 

Para começar a nossa entrevista, pedimos para ela contar mais da história com a escrita. Como ela descobriu que queria ser escritora e o que despertou a paixão por essa profissão?

“Meu bisavô era leitor e deixou malas com vários livros e poemas de autoria dele. Acho que eu fui a única bisneta que pegou isso dele porque, além de ler desde pequenininha, eu sempre fui aquela menininha que ganhava os concursos de redação, poemas e tal na escola.

Só que por muito tempo não levei a sério as histórias que rondavam minha cabeça.

Eu devia ter percebido na época da faculdade, quando comecei a estruturar uma fantasia que ainda vou publicar um dia, que aquilo era minha cabeça gritando meu verdadeiro amor.

Demorei um pouquinho para entender. Na verdade foi só depois de não conseguir exercer o Direito e quase entrar em depressão por isso, que eu conheci as séries asiáticas, consequentemente, o k-pop, e comecei a escrever minhas fanfics.

Minhas amigas adoravam elas e pediam mais. Aquilo me acendeu algo dentro de mim.

Eu estava bem mal psicologicamente, e em alguns dias eu só conseguia levantar só para escrever para elas. Porque as reações delas ao lerem o que eu escrevesse naquele dia me ajudavam a ir em frente.

Então decidi postar “Só Queria Que Você Soubesse” e ele foi crescendo no wattpad. Aí eu percebi que poderia investir na escrita como uma carreira.”

Bisavô da Binha, muito obrigada pela contribuição na vida dessa escritora, viu? Nós leitores agrademos muito por isso haha

 

Antes da serie dos Irmãos Chae, ela já tinha outras histórias publicadas! Sendo assim, perguntamos quais são esses livros maravilhosos.

“Antes de “Só Queria Que Você Soubesse” eu participei de uma antologia de contos de natal com o conto “Não Foi Sem Você” (percebemos que gosto de títulos longos.. rsrs). Depois veio SQQVS e no mesmo ano outro conto, “Um é bom, mas dois é bom demais”.

Estou pensando em remodelar os contos e fazer um comeback com eles porque eram uma gracinha.”

E nós seguimos esperando essa remodelagem, porque é disso que a gente gosta!

Também vimos que, antes da primeira história solo desta nova série, tivemos um livro 0,5, o “Entre Nós”! Por isso, pedimos para a Binha nos contar a sua história e como ela teve a ideia de escrevê-lo antes de trazer o primeiro livro de maneira individual.

“A verdade é que a história da família Chae começou a ser escrita antes mesmo de “Só Queria Que Você Soubesse”. Eles até aceitaram bem os dois anos longe de mim, mas ano passado os Chae resolveram gritar na minha cabeça.

Na forma original eu só contaria a história de um irmão. É, não deu. A família não aceitou bem.

Daí eu escrevi “Entre nós” porque eu já tinha em mente como eles encontrariam o amor, mas sabia que precisaria de mais tempo para estruturar a saga inteira.

Foi a coisa mais diferente que eu já escrevi, uma vez que “Entre nós” é “um livro de prólogos”. Nele além de o leitor ter um vislumbre de cada irmão e de seus pares românticos a serem desenvolvidos nos seus livros, o leitor pega várias pontas soltas sobre o passado de cada um deles que só serão fechadas nos livros no futuro.”

Dá para perceber que a gente precisa agradecer a muita gente para que a Binha estivesse aqui hoje, né? A família Chae entra nesse combo de personalidades que precisamos deixar uma menção aqui.

 

Em “Não Me Solte Jamais” temos a trajetória da Ana Fernandes conhecendo a família Chae. Então, perguntamos se ela poderia nos contar um pouco mais sobre essa protagonista e qual foi a sua motivação para criá-la?

“A Ana foi minha confirmação de que eu amo escrever mulheres porque, apesar de a série se chamar Irmãos Chae, e eu ter toda – ou quase – a história dessa família mapeadinha na minha cabeça, eu sempre pensei no plot de “Não me solte jamais” mais pelo viés dela.

Ana Fernandes é uma menina mulher que teve parte de sua vida suprimida por quem deveria defendê-la do mundo. Ela se joga nos estudos, onde se sente realmente boa, como forma de refúgio. Até que… até mesmo essa paixão lhe é tirada por conta do casamento de conveniência em que é envolvida.

Ela, nem de longe, é perfeita. Tem problema em confiar nas pessoas, esconde as coisas, planeja outras por baixo dos panos, mas no fundo tem seu jeito próprio de ajudar quem ama.

Para ser sincera, não lembro qual foi a motivação rsrs Mas eu sei que durante a escrita ela foi crescendo em mim e eu quis proteger ela do mundo. Ter que assisti-la escolher a vingança, algo totalmente não a cara dela, por certo tempo me doeu um monte. Mas amei como tudo se deu no final, ver minha menina em paz me deixou em paz.”

 

E sobre essa família apaixonante, com uma matriarca maravilhosa e com irmãos de tirar o fôlego, o que você pode nos contar sobre eles? Teve inspiração em alguma família da ficção, da vida real ou você pensou em escrever sobre isso e logo veio eles na sua cabeça?

“Minha inspiração começou com uma família chamada EXO (grupo de k-pop).

Brincadeiras à parte, a ideia base do livro era de uma fanfic deles. O grupo tem 9 membros e eu queria escrever algo que envolvesse todos eles.

No final das contas eu não usei todos os membros do EXO, acabei misturando um do GOT 7, um do Super Junior, uma do Blackpink e uma.. Essa vou deixar para descobrirem depois.

Apesar da inspiração no Kpop, hoje meus Chae são quase que pessoas “independentes”. Eu amo como venho conhecendo cada um, descobrindo os detalhes de suas histórias que contribuíram para ser quem são.

Uma informação que eu talvez possa dar é que não tá tudo tão bem quanto parece. Eles se amam, mas são como qualquer outra família. Tem alguns segredos ali, dores a serem resolvidas e até pequenas rixas entre eles que os leitores descobrirão no futuro.”

Claramente podemos ver aqui uma escritora cheia de mistérios e que vai matar a gente de curiosidade por muito tempo hahaha

 

Nessa mesma vibe de saber sobre a família Chae, também perguntamos para a Binha se ela tem algum irmão preferido e por qual motivo (juro que não gostamos de intriga e de fazer autores escolherem entre seus personagens haha). Mas, ela foi bem certeira e confiante na hora de responder, viu?

“O Ian.

Acho que ficou bem na cara, né rsrsrs

Ele é inspirado no meu cara favorito no Kpop, o Oh Sehun do EXO.

Eu tive uma relação gato e rato com ele no começo. Eu adorava o EXO, mas falava que não ia gostar do moço de cara de porta, que era como eu conseguia diferenciar ele dos demais membros. Ele tinha cara de ser chatinho, sabe.

Num belo dia fui procurar foto de cada um dos membros para saber mais sobre ele e só precisou de uma foto no Google para eu arriar os quatro pneus nesse indivíduo e começar a escrever fanfics com ele como inspiração.”

Imaginem o Oh Sehun lendo isso hoje e pensando “o mundo dá voltas né, querida?”. Até personagem inspirado nele nós tivemos. Muito maravilhoso haha

 

Além disso, mesmo com todas essas curiosidade, perguntamos para Binha a seguinte questão: Tem alguma coisa de bastidor sobre a escrita desse livro que você nunca contou pra ninguém e pode nos revelar agora? (Tipo, uma cena que você cortou; Algum personagem que não fazia parte do enredo, mas você adicionou de última hora; Alguma história bem interessante)

E, elas nos deu, não só uma, mas TRÊS casos super legais!

“Tem três (porque sou exagerada).

Eu ia matar o Alex. Minhas betas quando descobriram quase vieram na minha cidade me matar. Ia ser na última cena do último capítulo. Quem já leu vai entender o que ia acontecer, com certeza.

E tem outra.. A cena da Ana sujando o sofá de sangue foi escrita em 2018, acredita? Ela já estava presente quando “Não me solte jamais” começou como fanfic. Inclusive a minha beta de NMSJ betou o início da fanfic e quando ela releu essa cena, que tinha lido três anos atrás, ela riu muito.

Ah.. a última: quando ainda era fanfic e chamava “Hold me tight” eu fiz uma capinha pro wattpad com uma imagem que eu acho lindíssima. Deixei aqui para vocês verem.”

Temos aqui uma artista completa, não é mesmo? Além de escritora, ainda fez essa capa linda para a fanfic!

Mas, não podemos esquecer que, nossa lista de pessoas para agradecer continua crescendo. Betas de “Não me solte jamais”: MUITO OBRIGADA por deixarem a Binha vivíssima para todos nós!

 

Sabemos que um processo de escrita tem seus altos e baixos, alegrias e felicidades e grandes dualidades. Por isso, perguntamos qual foi a maior a maior dificuldade em escrever essa história e qual foi a maior alegria?

“Eu tive um bloqueio infernal para escrever o final do livro. É tanto que ele foi escrito só uns dois meses antes da publicação.

Não queria que ficasse corrido ou superficial, mas também sabia que não podia me estender muito. No final, eu gostei. Mas foi horrível o processo de estruturação, eu me senti muito insegura.

De alegria, acho que a recepção. Quando eu vi um monte de gente falando “a Binha me enganou direitinho”, quando dizem que ficaram perdidos ou que eu “explodi suas cabeças”, eu quase morro de felicidade. Era isso mesmo que eu queria.”

 

Desde que “Não Me Solte Jamais” foi lançado, ele tem estado em altas posições nos rankings da Amazon! Qual será a sensação da Binha em ver uma história sua sendo tão aclamada pelos leitores? Pois, ela respondeu para a gente!

“Surreal.

Não me solte jamais fez, em 10 dias, o que demorei em torno de cinco meses para fazer com “Só Queria Que Você Soubesse”. Fiquei uma hora olhando para o nada quando percebi isso.

Dá uma baita sensação de dever cumprido, uma felicidade imensa. Ter esse sentimento de que eu consigo alcançar pessoas torna tudo mais palpável, dá uma garra, uma gana de correr atrás, de alcançar mais e mais.”

E, para finalizar (infelizmente), será que tivemos algum spoiler sobre próximos livros e próximas obras da autora? Ela também forneceu essa informação icônica para todos nós!

“Várias coisas me vieram em mente, mas acho que a que eu mais quero falar é que agora que sei como foi toda a história de papa e mama Chae, o amor deles, como tudo aconteceu para os dois se tornarem quem são, me deu uma vontade imensa de escrever um livro para os dois.

E esse nem seria o spin off da série.

Oops, não era para eu ter dito isso!”

SERÁ QUE VEM AÍ? Com certeza iríamos amar uma série só deles dois, imaginem isso!

 

Binha, muito obrigada por aceitar conversar com a gente! Foi um prazer incrível, você é uma pessoa muito alto astral e tão participativa. Ou seja, foi tudo lindo!

Muito obrigada também por essas obras maravilhosas que já estão ganhando o Brasil inteiro. Você merece todo o sucesso possível. Seu trabalho é tudooo!

E, aos leitores, espero que tem gostado! Então, deixem muitas mensagens nos comentários sobre o que acharam da entrevista e dicas de outros ícones que podemos trazer aqui.

Beijos!

Anúncios

confira também

Posts relacionados

Comente via Facebook


Deixe seu comentário