Anúncios
novembro 30, 2021

ENTREVISTA COM TAYANA ALVEZ

Para fechar com chave de ouro o mês de novembro, não poderíamos ter uma convidada mais especial que a Tay aqui no site!

Tayana Alvez é formada em Serviço Social e Gestão de Recursos Humanos, mas o seu coração é, inteiramente, da escrita. Em 2017 ela foi fazer intercâmbio na Irlanda, mas outra coisa que a conquistou foi o país. Atualmente ela mora na ilha esmeralda, é mestranda em Gestão, voltado para a literatura e escreve histórias incríveis que nos despertam todas as emoções possíveis.

Mês passado, Tayana lançou o seu livro “Proibida pra mim” que conta com mais de 1.500.00 de páginas lidas e quase 500 avaliações na Amazon. Ou seja, mais um dos grandes sucessos da autora!

Para nossa sorte, ela topou conceder uma entrevista para nós e é sempre um prazer tê-la em todos os canais de comunicação possível do Livros e Fuxicos. Conversamos sobre escrita, sobre novos lançamentos e muito mais. Tudo isso vocês podem conferir agora mesmo, vamos lá!

 

ENTREVISTA COM TAYANA ALVEZ

Antes de sabermos mais sobre o lançamento de Proibida Pra Mim, perguntamos para a Tay como surgiu a ideia da trama principal do livro novo. A sinopse por si só já entrega tudo e deixa a gente morrendo de vontade de conhecer mais da história. Como será que isso começou?

“Eu sempre amei histórias com diferença de idade mas, na maioria das vezes, as via sendo tratadas como fetiche, e eu odeio fetichização. Já luto contra isso só de escrever personagem negro, né? Que também é super fetichizado. Então eu pensei: Se eu quero algo que não estou achando, talvez eu devesse escrever.

E assim foi muito claro pra mim: Eu escreveria diferença de idade com algum agravante. Mas, namorar amigo de pai geraria um drama enorme, então decidi trabalhar o abandono paterno também, assim, a Lavínia poderia namorar o pai de uma amiga muito próxima, mas que ela nunca tinha conhecido porque ele era ausente.”

 

Também pedimos para que ela contasse pra gente como se sentiu no processo de escrita de “Proibida pra mim”. Quais foram as suas emoções no momento em que estava criando os personagens e pensando no enredo?

“Foi difícil escrever esse livro. Tanto pelas dores que os principais – Lavínia, Daniel e Amanda – carregavam, quanto pela carga hot da coisa. Eu nunca tinha escrito nada tão hot, então eu demorei inclusive a me acostumar à ideia de lançar esse livro no meu nome, originalmente seria por um pseudônimo. Mas, as emoções… Acho que são as mesmas dos leitores.

A gente se apega, então sorri, chora, se revolta, quer bater, quer abraçar…”

E, neste momento, só queremos realmente abraçar a Tay por ter nos dado essa história de presente!

 

Agora, falando sobre a nossa mocinha: Será que ela é exatamente da forma como a autora imaginou e queria que fosse? Ou será que ela tomou seu próprio rumo durante a escrita? Rs. Sendo assim, perguntamos o que a Tay poderia nos contar sobre a Lavínia.

“A Lavínia é tão dona de si, que a mulher sabia o que queria desde a minha mente.

E eu amava o jeito dela, então foi FÁCIL escrever a Lavínia. Eu não precisei apagar nada ou reescrever, como aconteceu com o Daniel por exemplo, a Lavínia é o tipo de jovem que eu era na idade dela – com a exceção de pegar o pai da amiga, óbvio hahaha – ela forte, decidida, profissional, é fiel às amigas, superfamília… Eu queria uma mocinha de livro assim, sabe? Que fosse incrível e os pais amassem isso. Que os pais não fossem um problema. Odeio pegar livro e a mocinha ter problema com a família como justificativa para ela ser como é, ou para ter feito as escolhas que fez. A Lavínia quem a vida dela a moldou para ser, só isso.”

Só com essa descrição nós conseguimos perceber o quanto a Lavínia é uma mulher maravilhosa, mesmo quem ainda não leu o livro, não é mesmo?

 

E, além disso, temos o Daniel: O que a gente pode saber sobre ele mesmo que alguém ainda não tenha contato com a história?

“O Daniel é um sonho. Ele é um mocinho que já viveu bastante, né? Já teve outras experiências, já foi casado… Então ele tem muita certeza do que sente pela Lavínia e do que quer com ela desde o momento que eles se reencontram. O Dani não faz jogos, não finge que não tá se apaixonando… Acho que dá pra gente definir o Daniel como: Esqueça todos os mocinhos de hot que você leu anteriormente.

Ele é doce, honesto, sincero, entregue… E ainda é um grande gostoso. E tem muitos defeitos, entre eles o período que passou longe da filha, mas ele é uma pessoa afinal, né? Pessoa tomam decisões erradas todos os dias então isso, os defeitos, as falhas, é o que traz humanidade para os personagens.”

Com essa descrição da Tay, é impossível a gente não se apaixonar pelo Daniel antes mesmo de conhecê-lo rs.

 

Nós fizemos uma pergunta sobre escrita, mas voltada para o lado emocional. Agora, pensando de forma mais racional, perguntamos qual o maior desafio de escrever um relacionamento entre pessoas com idades muito distintas. Será que tem algum cuidado que a autora acredita que precisa ser tomado? Ou tem as mesmas características de um relacionamento entre pessoas da mesma faixa etária?

“Sobre escrever idades distintas… Bem, você precisa embasar aquilo de alguma forma. Por exemplo: Porque o Daniel se interessa pela Lavínia? Porque eles têm muitos interesses em comum. E esses interesses são: Futebol, filmes e o fato dos dois trabalharem com RH. Eles conversam sobre essas coisas, vão se conhecendo e se envolvendo. Eles não estão juntos só pela relação carnal.

O interesse do Daniel não é ter uma namorada novinha e a Lavínia, apesar de gostar de caras mais velhos, não fetichiza isso, por exemplo: Não chama o Daniel de Tio, não se comporta como se ela fosse a amiga da filha dele com quem ele tem um caso. Ela o trata como qualquer garota trataria o cara com quem está, sem ficar “Oh, meu Deus, como eu deveria ser grata por esse homem mais velho incrível olhar para mim”. Eles namoram, eles têm um relacionamento e isso é sobre eles dois e não sobre a diferença de idade deles.”

Então, fica aí uma dica da Tay para alguém que também deseja escrever histórias com diferenças de idade: Traga embasamento para a trama!

 

Perguntamos sobre os personagens secundários. Teve algum deles que conquistou o coração dela ou o amor é todo dos protagonistas? Rs

“Todos os personagens no livro tem um pouquinho de mim e das minhas amigas mais próximas.

Morando fora do Brasil, eu procurei um jeito de estar perto delas, sabe? Então eu amo quarteto com todo o meu coração, e a Duda – protagonista do livro 2 – é meu xodó, porque a história que ela tem para contar é linda.

Ah, outro personagem que eu AMO de paixão é o Gilberto, ele não é diretamente inspirado em ninguém, mas é tudo na minha vida.”

Enquanto isso, ficamos aqui só querendo fazer parte da trama para ser amigos de Duda e Gilberto, né?

 

A Tay também nos contou sobre a capa! Como foi o processo de escolha do casal, os elementos que possui e o que ela quis passar com isso?

“A parte mais difícil da capa foi encontrar as fontes. Diferente das outras vezes, que eu pedi para ilustrar a mocinha, ou precisei colocar uma modelo diferente da minha mocinha na capa, dessa vez eu escolhi um casal e passei a imagem para o capista. O trabalho dele foi excelente, ele fez as manipulações necessárias para deixar a modelo bem parecida com a Lavínia. Já o modelo da capa também não é tão velho quanto eu gostaria, mas não me estressei com isso dessa vez, eu achei que o casal tinha a energia Lavínia e Daniel, sabe? Então me preocupei mais com comunicar o livro do que com as aparências baterem certinho.”

E, vamos combinar que o resultado ficou lindo demais!

 

“Proibida pra mim” já foi lançado no topo dos topos na Amazon. É um sucesso total! Além de já ter mais de1 milhão e meio de páginas lidas. Perguntamos para a Tay: Qual a sensação de ver a sua história ganhando a afeição dos leitores desse jeito?

“Alívio. Eu investi muito nesse livro, e não é apenas de dinheiro que falo. Esse livro tem muito investimento emocional. Meu casal tinha uma história para contar junto, mas cada um tinha uma história própria também, e ainda tinha a Amanda. Esse livro é sobre os 3, e eles levaram muito de mim, então vê-los dando as pessoas o que eu entreguei a eles está sendo sensacional!”

E estamos aqui torcendo para que ele alcance ainda mais posições de destaques! Quem sabe uma versão física? Deixamos ai no ar….

 

Será que podemos esperar mais alguma coisa relacionada a essa obra? Um spin-off ou uma continuação?

“Essa é uma trilogia com casais que tem diferença de idade. Acho que através dos 3 livros de FORBIDDEN vocês vão poder conhecer facetas diferentes das relações com diferença de idade. Os livros são independentes, o segundo, PROIBIDA DE AMAR, já está na Amazon. Conta a história do CEO da empresa do Daniel. Nós não o conhecemos em Proibida pra mim, mas ouvimos falar dele. E o terceiro chega a Amazon no primeiro semestre de 2022.”

Então, não deixem de conferir “Proibida De Amar” nas plataformas digitais, galera! Vamos conhecer e nos apaixonar por mais um casal.

 

Para finalizar (infelizmente), podemos ter spoiler de mais algum livro ou projeto que está por vir? Tem algo que você já esteja escrevendo e pode nos contar um pouquinho?

“Ah, eu posso contar em primeira mão que estou escrevendo uma novela. Ela é uma releitura de uma das princesas mais importantes da Disney e chegará às Amazon dia 10/01! É minha primeira fantasia, então estou ansiosa, mas também feliz, porque eu confio muito na Maeve, nossa princesa sem reino.”

Além de termos a versatilidade de escrita da Tay reforçada, gamos uma super novidade em primeira mão. Não tenha dúvidas que já estamos super ansiosos por mais um fenômeno!

 

Acabamos, mas queríamos deixar o nosso IMENSO agradecimento a Tay! Como já falamos, é um enorme prazer ter você por aqui. Obrigada por essa entrevista maravilhosa, por topar dividir várias coisas de “Proibida Pra Mim” e das suas outras histórias.

Obrigada por ser essa escritora incrível, necessária e que proporciona entretenimento de qualidade para todos nós rs. Estamos prontos para receber cada vez mais livros seus!

Beijos!

Anúncios

confira também

Posts relacionados

Comente via Facebook


Deixe seu comentário