agosto 20, 2013

[Resenha] O Desconhecido – Portia da Costa

A decisão de Cláudia em não amar de novo está prestes a
ser posta à prova quando seu destino cruza por acaso com o do belo
desconhecido… Uma primeira visão no rio, como antecipação de um mundo de
sensações e descobrimentos. Do meio da tempestade surge aquele homem, a quem
Cláudia decide chamar de Paul, e que mudará sua vida, abrindo novas portas para
a sensibilidade, as relações, o sexo e as surpresas que a vida esconde até que
a verdade se mostre. Buscar sua verdadeira identidade é ao mesmo tempo algo que
se impõe e que a deixa insegura. Ela teme que, descoberto o segredo daquele
jovem, a aventura prazerosa se desmanche no ar, como uma bolha de sabão numa
tarde de verão. Entre novas aventuras e possibilidades, esse romance mudará a
sua visão sobre o amor e o sexo. O desconhecido chegou para romper todos os
tabus.
Romance Erótico || 304 Páginas
||
Cortesia Editora Planeta ||
Skoob ||
Compare
& Compre
||
Classificação: 3/5
Caminhando
pelas margens de sua propriedade Cláudia se depara com um desconhecido que mexe
com seus hormônios. Depois de surpreendê-lo no rio enquanto ele se banhava, suas
fantasias femininas se apoderam da força e da beleza de tal visão, tornando
esse estranho, um jovem e belo rapaz que ela tinha certeza que nunca mais iria encontrar, no seu atual objeto de desejo.
Contudo, em meio a uma forte tempestade eis que ele bate à sua porta pedindo
por abrigo, e travando uma batalha com sua consciência e abandonando o seu perfil
de mulher sensata, ela o acolhe em sua casa, não deixando nem um minuto se quer
de pensar o quanto gostaria de acolhê-lo em sua cama. Forte, direta, determinada, Cláudia é uma mulher madura que
perdeu o marido recentemente, e que depois de meses de solidão precisa se
reencontrar como mulher e como amante, missão para a qual o seu desconhecido parece se enquadrar
perfeitamente. Em meio a muita sedução, paixão e infinitos mistérios a trama
nos faz questionar quem é o desconhecido
que parece ter caído do céu ao surgir na vida de Cláudia, mas principalmente, queremos
saber quem é e o que verdadeiramente nossa heroína quer.  
“- Eu vou lhe dar um propósito,
um caminho enquanto estiver esperando ter a sua vida de volta…”.

O
ponto alto do livro, ao contrário do que pode parecer não é a verdadeira
personalidade do mocinho, mas sim o florescer sexual da personagem principal. De
início a autora foca na atração que Cláudia sente pelo desconhecido, e a forma nada sútil que ela decide seduzi-lo. Ela o
quer, então vai tê-lo, simples assim.
Nesse ponto sua idade superior à dele é posta de lado, suas inseguranças quanto
a sua aparência são praticamente esquecidas, e a situação inusitada do jovem é
colocada de baixo do tapete chamado ‘consciência’. Nada interfere no desejo de
Cláudia, e depois de anos em uma relação feliz e saudável, ela decide dar
ouvidos a sua voz interior que quer que uma Cláudia ativa, jovem e sexy venha à
tona, e nisso o homem abrigado em sua casa colabora totalmente, conduzindo-a inúmeros
jogos de paixão e libertação. Até aqui, o livro pode parecer clichê, pois segue
uma linha normal e previsível típica dos romances eróticos (vulgo, sexo antes,
pensamentos racionais depois). Porém, tão logo imergimos o segundo terço da
história fica claro que ela não tem nada de previsível.
Foi
uma grande surpresa ler sobre as propensões sexuais da mocinha. Eu entendi o
ponto da autora, de colocar na vida dela alguém para acender a chama do desejo,
contudo,
Portia da Costa foi além, mostrando que a maturidade fez Cláudia aceitar
e assumir um lado seu que foi esquecido, um lado que não quer ter um dono, que
quer dominar, experimentar, dar e receber prazer sem limites, sem medos e preconceitos.
Então, eis que temos um ou outro
Ménage à Trois,
narração de orgias, envolvimentos homossexuais, e uma relação afetiva bem mais
carnal do que emocional – Sim, nada de água
com açúcar estilo felizes para sempre.
E ora, eu não sou preconceituosa, já
li livros que seguem esse estilo, bem mais focados no sexo do que no sentimento,
mas nesse caso a leitura foi complicada, difícil eu diria. Sou do time de
blogueiros que sabe o quão importante é julgar um livro pelo que ele é, sem
levar em conta suas crenças e credos, mas com O Desconhecido eu quase segui a linha contrária a isso.
Então
o que dizer… o livro é muito bem escrito, com uma narrativa rápida que flui
durante o decorrer da leitura, do tipo que é fácil ler do começo ao fim em uma
sentada só. Fora isso os personagens principais são mais do que aparentam ser,
e revelam o quão importante é aceitar e assumir o controle de sua vida. E indo
além, para quem gosta, também temos a inserção de alguns mistérios e inúmeras
cenas eróticas. Porém, temos alguns assuntos polêmicos que podem ou não agradar
o leitor. Em minha opinião o ponto alto na decisão de ler ou não o livro em
questão é levar em conta seu gosto particular: você como leitor é fã de uma
trama erótica que foca no sexo, independente da forma como ele é apresentado?
Então leia esse livro! Agora se você é geração Cinquenta Tons e espera um mocinho dominante e um final feliz h
ollywoodiano,
bem, talvez esse livro não seja para você.
No
geral, gostei da maneira como a personagem principal se liberta e como a autora
trabalhou novamente, quem leu Bem Profundo sabe disso, com um mocinho incógnito. Contudo, no fundo acho que só esperava ler por algo menos… liberal, MAS isso está ligado a minha forma de ver a vida, não a
qualidade da obra.
E ah, para os que se perguntam, O Desconhecido não é uma continuação de Bem Profundo.
Para
ler ao som de…

Para quem leu e gostou de…
Trecho Marcante:
“- Você é certamente algo como um “acontecimento” – desse ela, apertando
todos os músculos do seu corpo para se controlar. Ela queria ser penetrada por
ele, beijá-lo e acariciá-lo. – Não é toda noite que um belo jovem vestido como
um poeta do amor eduardiano joga-se em meus braços.”
Outras Capas + aqui
 

confira também

Posts relacionados

Comente via Facebook


Deixe seu comentário

9 Comentários

  • Estante LZ
    18 dezembro, 2017

    Oie! Eu amei a sua visão não radical e sincera sobre o livro! Parabéns.

  • Mirelle Candeloro
    23 agosto, 2013

    Jurava que esse livro era uma continuação de Bem Profundo. Até li a resenha com certo cuidado com medo de spoilers para ao final ver a informação que você botou, de que não é.. hehe A premissa até é interessante, mas não é um livro que me deixa mega curiosa para ler. Beijos, Mi

    http://www.recantodami.com

  • Fabiola
    23 agosto, 2013

    Oiii,sempre que procuro uma dica de livro eu dou uma passadinha aqui no seu blog.Amei a resenha,muito bem feita,me convenceu:). Adorei sua sugestão,já leio livros eróticos há algum tempo e tava cansada do mesmo clichê de homem apaixonado,possessivo e com final feliz…Não que eu não goste desse estilo,é que eu sinto vontade de conhecer coisas novas,e essa proposta de um personagem diferente me chamou a atenção.Já li sim um livro nesse estilo e achei interessante,é bom pra quebrar tabus.
    Obrigada pela dica Pah!!!

  • Des-conversando
    21 agosto, 2013

    Já li esse livro, é maravilhoso <3

    Dá uma passadinha no meu? beijos amor! *-* http://des-conversando.blogspot.com/

  • ♪ Dαyαnє ♪
    21 agosto, 2013

    Oi Pah, (:

    Primeiro de tudo, só por ler a sinopse, eu gostei da capa; achei que ela cumpriu perfeitamente o propósito sabe? Estranho sexy e misterioso e tudo mais… rs' Diferente das duas últimas capas que eu não achei que, mesmo sem ter lido, e lembravam a história.

    Mas, depois de ler sua resenha – a sua foi a primeira que li desse livro *-* – não me cativou não… Entendi perfeitamente os pontos, acho que iria ter a mesma impressão que você sobre essa coisa liberal – meio ao excesso – que esse livro parece ter. Acho que, depois de você me viciar em hot's! rs' Esse não se encaixa nos que mais gostei; aqueles em que há amor também, mesmo sem o final feliz hollywoodiano O.o' kkk' Mas, amor, não só aquilo de um não conseguir tirar as mãos um do outro =P rsrs'

    Ótima resenha Pah, de verdade ^^

    É bobo mas, sempre fico tão feliz quando passo aqui =** rs' É como visitar uma velha amiga 😉

    ~> Beijusss…;*

  • Janne
    21 agosto, 2013

    Tá, a sinopse não mexeu muito com meu interesse não, viu? Mas achei bacaninha, pode ser uma leitura pra depois. Tô ficando meio cansada da repetição desses chamados "eróticos" que falam de poucos problemas, mas de muito sexo. E Pah, onde que Locked Out of Heaven cabe como trilha, mulher?? Essa música é tão solar, tão pra cima, como tem a ver com um livro que parece tão sombrio? rsrsrs
    Enfim, apenas minhas ligeiras impressões.

    Bjoks pra tu! =D

    • Paola Aleksandra
      Paola Aleksandra
      21 agosto, 2013

      Oi Janne! Então, o livro é animado, mas quando trata de sexo, por isso pensei na música. Quando a mocinha fala de como a vida dela mudou com a vinda do 'desconhecido' só consegui pensar nessa música, rsrs

      Bjs

  • Rayme
    21 agosto, 2013

    eu já ia perguntar se O Desconhecido era continuação de Bem Profundo kkkk
    mas eles são parecidos, não são?
    olha, dos livros que eu li que foram mais hot, nenhum chegou perto de ser igual a este, e pelo o que senti na sua resenha, o livro não iria me agradar muito :S
    a não ser que ele caia de paraquedas em minhas mãos, eu não irei ler hahaha

  • Duda Menezes
    20 agosto, 2013

    Oi Pah,
    É oficial: eu realmente NÃO gostaria desse livro haha
    Não tenho nada contra romances eróticos, mas só gosto do tipo mais romântico mesmo. Esse que tem só sexo o tempo todo me desagrada. E tudo que você descreveu ia me incomodar profundamente.
    Eu já não gostei de Bem Profundo (motivo pelo qual nem olhei para esse quando foi lançado), e agora sei que desgostaria mais ainda desse, pois pelo menos no outro ainda havia (láááá no fundo) um envolvimento emocional entre o casal.
    Parece-me mais um pornô em forma de livro, não? Sem envolvimentos. Eu gosto de torcer pelo casal, sabe? Mas, claro, concordo plenamente com você que vai do gosto de cada um.
    A resenha está ótima, bem explicativa!
    Beijão!