[Resenha] Não Se Iluda, Não – Isabela Freitas

Depois de passar um ano sem namorado, Isabela está determinada a realizar o grande sonho de ser uma escritora reconhecida. Resolve dar os primeiros passos anonimamente, criando um blog onde assina como 'A Garota em Preto e Branco'. Em seu diário virtual, ela desabafa, fala dos amigos, dos não tão amigos assim, e confessa suas aventuras e desventuras amorosas. Assunto é o que não falta. Durante uma temporada agitada em Costa do Sauípe, na Bahia, acompanhada por Pedro, Amanda e sua insuportável prima Nataly, Isabela conhece o irresistível Gabriel, um sujeito praticamente perfeito, a não ser por um pequeno detalhe... Entre shows e passeios na praia, Isabela precisa admitir para si mesma que sente uma atração cada vez maior pelo seu melhor amigo. Em seu segundo livro, Isabela Freitas dá sequência às histórias dos personagens de 'Não se apega, não'. Dessa vez, com a cabeça nas nuvens e os pés firmemente no chão, a personagem Isabela vai em busca daquilo que seu coração realmente deseja, mesmo quando seu caminho é bem acidentado e cada curva parece esconder uma nova surpresa.
Chick-Lit (+Autoajuda) | 272 Páginas | Editora Intrínseca | Skoob | Compare: SubmarinoSaraivaAmazon| Classificação: 3,5/5
Uma das características mais marcantes dos livros da Isabela Freitas é que eles misturam realidade com ficção. O fato é que são as experiências da autora que conduzem a vida de sua protagonista, também chamada de Isabela. Assim, seguindo o mesmo modelo do livro anterior, a narrativa de “Não se iluda, não” recria momentos da vida da autora com a ideia de mostrar os romances que ela protagonizou e os ensinamentos que tirou deles. E como tanto a autora quanto a protagonista são garotas como nós – inseguras, imperfeitas, estabanadas, platônicas, sonhadoras, corajosas e tudo mais o que somos no nosso íntimo – ao narrar sua história, Isabela Freitas permite que os leitores aprendam com seus erros e se divirtam ao descobrir que não somos os únicos que levamos vários tombos da vida, da mesma forma que também não estamos sozinhos na nossa luta em dar a volta por cima. Portanto, visto como uma obra que tenta ensinar valiosas lições para suas leitoras, o livro tende a desagradar (até porque não existem regas para ser feliz, para amar, para não se iludir ou para não se enganar). Contudo, do aspecto de entretenimento o livro cumpre seu objetivo, pois além de divertir ele nos envolve no crescimento da protagonista, fazendo com que passemos a ver de forma diferente algumas das barreiras que encontramos em nosso caminho.

A segmentação da obra é um ponto importante para descrevê-la. A história é dividida em: momentos em que a autora descreve suas experiências de vida, o quanto ela aprendeu e cresceu ao longo dos anos; a descrição de um romance (no melhor estilo chick-lit) que envolve a personagem Isabela em muitas enrascadas; e trechos tirados do blog da protagonista da história (que também lembra o fato de que a autora começou seu sucesso com um blog). Portanto, o livro gira em torno da nova fase que Isabela inicia: um período sem namoros em que ela aprendeu a se amar, um momento em que a jovem pensa em terminar o curso de Direito para batalhar por seu sonho de trabalhar em uma editora e, quem sabe, publicar seu livro, e a hora de não se iludir e aceitar o que seu coração tem gritado para ela.


Quanto à parte fictícia da história, só posso dizer que adorei as aventuras da mocinha. Por mais superficial que a obra pareça (e não se iludam, em alguns momentos ela é), a escrita da Isabela é fluída e divertida, tornando impossível para o leitor interrompê-la – simplesmente queremos saber se a Isabela terá seu final feliz, se ela encontrará o grande amor da sua vida. Contudo, não é surpresa eu ter gostado dessa parte do livro, até porque no volume anterior esse foi o elemento que mais me agradou: a história da personagem que sonha encontrar o amor mas que primeiro precisou aprender a se amar. Então poder ler mais sobre Isabela e seu relacionamento com seu melhor amigo e confidente, o Pedro, me deixou mais que envolvida com a leitura. Tanto no primeiro quanto no segundo livro, essas foram as partes que eu não queria parar de ler. Além do fato de que foram com elas que eu ri, me emocionei e fiquei doida de vontade de estapear os protagonistas e dizer “pelos céus, será que vocês são os únicos que não percebem o quanto se amam?”. Adoro um bom romance, e o da Isabela definitivamente me conquistou, principalmente nesse segundo livro.
Já com relação às partes da experiência da autora eu continuo com a mesma opinião: elas são desconexas. A Isabela da ficção é insegura e comete inúmeros erros, então fica atemporal a autora apresentar seus aprendizados nesse contexto, até porque logo depois de os lermos acabamos nos deparando com os erros da protagonista, o que nos deixa confusos – a Isabela é a narradora segura ou a protagonista insegura? No meu ponto de vista, seria muito melhor se os ensinamentos da Isabela fossem apresentados apenas como reflexo do amadurecimento da sua protagonista. Se ela vive isso, se aprende com seus erros, se deixa de transferir ao próximo sua necessidade de ser feliz e se aprende que para o outro amá-la ela precisa se amar primeiro, a autora não precisa nos dizer isso, as experiências de sua personagem falarão por si mesma. Parece clichê demais alguém tão jovem, que ainda cometerá muitos erros, dizer o que devemos ou não fazer. Só nos mostrar o fruto das suas ações seria o suficiente. Então o ponto é, gostaria bem mais se o livro fosse uma coisa ou outra, ou um chick-lit envolvendo a vida da Isabela ou um livro no estilo autoajuda com crónicas relacionadas com os aprendizados amorosos da autora. 
No geral eu gostei do livro. Acho que ele tem reflexões que ajudam o leitor a aprender a se valorizar e escutar seu coração, mas o ponto falho é que a história é apresentada de uma forma muito confusa. Sendo assim, só lendo o livro para saber o que você encontrará. E, principalmente para os que gostam de leituras mais leves e divertidas, acho que vale a pena dar uma chance e conhecer o trabalho da Isabela.
Beijos,



Participe Aqui

25 comentários:

  1. Estou louca pra ler a continuação de Não Se Apega, Não.
    Eu amo a capa desse livro e tudo o que já vi até agora sobre ele me deixou mais curiosa ainda.
    A Isabela é uma fofa e ela escreve super bem.
    Beijinhos!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Pah!
    Eu tenho curiosidade de ler esses livros da Isabela, mas o fato de ser meio autoajuda não me anima muito, sabe? rsrs Eu tenho aversão a esse tipo de leitura, então fico sempre na dúvida se não vou parar em algum momento da leitura e deixar o livro de lado.
    Por outro lado, essa mistura parece ser divertida. Pena a confusão que você comentou.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Realmente é uma estória bem fluida, divertida, li super rápido, tanto esse, como o Não se Apega, não, mas mesmo lendo rápido, e ela sendo um fenômeno entre os adolescentes, eu não consegui amar a estória. Senti falta de muita coisa, e achei outras irreais.

    ResponderExcluir
  4. Oi Paola!
    Ainda não li nenhum dos livros da "série", mas adoro as quotes que eu vejo por aí. As resenhas são sempre bem bacanas, e há quem ame e quem odeie, normal ne?
    Ultimamente estou tendo dificuldades de achar um livro leve e divertido... quem sabe não dou uma chance à Isabela mesmo ela sendo meio confusa? Rs...
    Beijos!

    Fabi Carvalhais
    pausaparapitacos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Paola,ainda não li nenhum dos livros da Isabela Freitas,gostei dessa mistura que faz de realidade com ficção.Legal tentar fazer com que os leitores ,aprendam com seus erros e ao mesmo tempo se divirtam ao descobrir que não somos únicos a levar tombos na vida e também dar a volta por cima,gostei de saber também que é estilo chick-lit.Legal da associação da autora com a personagem.Também gostei do sonho da personagem de publicar um livro.Legal primeiro aprender a amar,para depois buscar o amor.Realmente,não saber quem é Isabela parece confuso,afinal ela é a protagonista insegura ou narradora segura....bem espero que não atrapalhe tanto.Mil beijinhos!!!

    ResponderExcluir
  6. Pah, eu acho a escrita da Isabela Freitas muito apropriada para as mulheres que gostam de autoajuda, ou até aquelas que querem apenas humor, baseando-me em algumas críticas. Não Se Iluda, Não parece um livro muito bem escrito, de forma leve e ágil, com personagens bem construídos, e, principalmente, a mistura de ficção e realidade é encantadora. Eu não leria o livro, pelo menos por agora.

    ResponderExcluir
  7. Olá Paola!
    Ainda não li nada dessa autora e ainda estava na dúvida se queria ou não esse livro e sua resenha me deixou ainda com mais dúvidas...kkkk
    Mas, como me conheço vai chegar a hora em que vou lê-lo e tirar minhas conclusões...
    Bjos!!!
    http://sentimentonoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Estou contando meu processo para ser Au Pair, vem conferir! www.luckforus.wordpress.com

    ResponderExcluir
  9. Estou contando meu processo para ser Au Pair, vem conferir! www.luckforus.wordpress.com

    ResponderExcluir
  10. Comecei a ler o primeiro livro, e a leitura não fluiu, então não terminei, mas quero tentar de novo para ver se vai, a edição desse segundo livro ficou linda...

    ResponderExcluir
  11. Escrevo a alguns anos, mas somente hoje tomei coragem para publicar, por isso gostaria de pedir que me dessem uma chance ao lerem minha historia. https://www.wattpad.com/myworks/53062371-indcios

    ResponderExcluir
  12. Olá. Achei legal a história mas algo nela não me prendeu a atenção. Até um tempo atrás eu tinha blog literário e me interessava em ler de tudo um pouco, hoje acompanho blogs maravilhosos como o seu para selecionar os livros que me cativem de verdade. Infelizmente esse não foi um deles. Mas com tantas resenhas, livros interessantes não vão faltar.

    ResponderExcluir
  13. Oi Pah,
    Ainda não li nada da autora Isabela Freitas, não sou muito chegada a livros com estilo autoajuda. Porém, é sempre bom ter um livro na lista que seja uma leitura mais leve e divertida, com um bom romance que sempre me agrada, então, quando sentir uma vontade de ler algo diferente vou dar uma chance e ler inicialmente Não Se Apega, Não, para conhecer o trabalho da Isabela. Ótima resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Oii Pah, ainda não li o primeiro livro, mas fiquei curiosa pela sinopse..apesar da nota desse segundo ser 3,5, ainda fiquei bem curiosa lendo sua resenha. Adorei! Beijoss

    ResponderExcluir
  15. Sinceramente, nunca me interessei por ler os Livros da Isabela, nem o primeiro , nem o segundo fizeram com que eu tivesse vontade de compra-los e lê-los , não sei se é preconceito , não sei se é o enredo ...mais sempre que vejo esse livros me soam muito superficiais,,,, apesar de a editora/gráfica fizeram um trabalho lindo com essas capas.Sua resenha foi incrível mais continuo sem vontade de conhecer o trabalho dela rsrs.

    ResponderExcluir
  16. Nunca fui muito fã de livros que misturam a realidade com a ficção, mas depois que li o primeiro volume fiquei completamente envolvida e apaixonada com a história porque no fundo eu me sinto como a personagem. E agora no segundo volume de forma leve e engraçada Isabela Freitas transpõe novamente os erros e as aprendizagens que eles geram.

    ResponderExcluir
  17. Olá,creio que os livros Isabela Freitas é muito apropriada para as mulheres que gostam de autoajuda,a mistura de ficção e realidade é encantadora e segundo o livro não se apega leria sim o livro . Bjs!

    ResponderExcluir
  18. Ooi Pah, não gosto muito de livros desse gênero, não gosto de parar de ler algum livro sem terminar, e na maioria das vezes é isso que acontece quando leio algum livro nesse estilo de autoajuda.
    Mas quero conhecer o trabalho da Isabela, quero ler o primeiro livro.
    Bjs

    ResponderExcluir
  19. Oi Pah! Amo historias que misturam realidade com ficção. Nao li nenhuma historia da autora mas me conheci um pouco com a historia ,super eu com a cabeça nas nuvens e os pés firmemente no chão. Amo Chick-Lit e alguns Autoajuda, to super encantada pela capa ,uma ediçao muito linda!
    OBG pelas dicas Pah ! Bjs!!

    ResponderExcluir
  20. Apesar das capas lindas esses livros ainda não me convence...sou completamente apaixonada pela diagramação e cor do segundo livro mas só .. =/

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Gosto bastante da ideia de misturar realidade e ficção, acho que o contraponto acaba deixando a história mais verossímil e de fácil identificação por parte do leitor. A organização que a autora propõe no livro, não sou estrutura o enredo mas também permite ao leitor aprender com os fatos ali narrados. Além disso a aura divertida e a diagramação fofa tornam o livro irresistível!

    ResponderExcluir
  22. Oii!!
    Já ouvi muito sobre os livros da Isabela, mas nada que tivesse despertado meu interesse. Sua resenha porem, mudou meu pensamento, me deixou curiosa com a escrita da Isabela. Já coloquei na minha lista de leitura das férias.
    Bjos e sucesso!!

    ResponderExcluir
  23. Oi, Pah
    Sempre quis saber como a autora trabalhou isso, misturando a própria experiência para fazer o livro. E parece que saiu meio confuso, afinal. Concordo com voce, que alguém tao jovem com tantas coisas ainda para viver, deve apenas narrar seu amadurecimento.
    Nunca considerei essa leitura como prioridade, mas sempre que vejo uma resenha até me animo. Quem sabe.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  24. Já tive a oportunidade de ler esse livro, mas não tive interesse.
    Um ponto positivo que você abordou foi a respeito de a autora misturar a ficção com a realidade. Isso é algo que poucos autores conseguem fazer de forma bem feita. Uma pena que a experiência da autora fica desconexa e um tanto sem sentido. Não me senti apegada para ler.

    ResponderExcluir
  25. Este livro é maravilhoso li em apenas 5 dias, sem palavras sua resenha também ficou inspiradora! ♥ Adorei!!!!

    www.blogdoce18.com

    ResponderExcluir